João 14.6 - Jesus, a resposta segura.

"Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim."

Introdução

           Vivemos uma época na qual o avanço científico é impressionante. Na área tecnológica, por exemplo, a todo momento surge uma novidade. No entanto, também são dias de incertezas. O próprio avanço científico ao mesmo tempo em que nos traz algumas certezas abala outras. Afinal, todo conhecimento científico é corrigível, o que é dito hoje poderá não está sendo dito amanhã.
           Vivemos dias de relativismo. Apregoa-se que: cada um pode seguir seu próprio caminho, viver sua própria verdade, e viver como bem entenda, contanto que não esteja prejudicando outros. A moralidade é relativizada. Para tais pessoas não existe verdade absoluta, e ninguém tem direito de dizer-lhe como devem viver.
           Mas o que tudo isso de fato traz para as pessoas? Qual a resposta cristã a esse contexto? O nosso texto é elucidativo a essas questões.


Elucidação

           Jesus estava preparando os discípulos acerca de sua futura ausência física, pois ele haveria de partir. O versículo é sua resposta à indagação de Tomé após Jesus lhes dizer que sabiam o caminho para onde ele iria (v.4). Tomé pergunta: “Senhor, não sabemos para onde vais; como saber o caminho?” Jesus responde falando que é o caminho, e, além disso, que também é a verdade e a vida. Uma resposta segura, firme. E é sobre essa reposta segura que queremos refletir.



I – Jesus, o único caminho para o Pai.

           Como surgem para nós os caminhos que seguimos na vida? Como surge nos corações das pessoas as prioridades, os objetivos que são colocados para sua vida?
           Primeiramente por meio da educação que recebemos de nossos pais. É o lar o primeiro lugar do ensino, onde aprendemos as primeiras lições, onde somos de um modo ou de outro ensinados sobre o que é a vida e como devemos nos colocar diante dela. Num segundo momento a escola exerce sua função na formação intelectual e também do caráter do indivíduo. A terceira grande influência é a sociedade, o meio no qual a criança e o adulto está inserido trará à sua vida influência sobre como irá vivê-la. Tudo isso influencia, capacita, educa, de um modo ou de outro, de forma certa ou errada, mas suas escolhas são pessoais, intransferíveis, ou seja, não é porque você cresceu assim, foi educado desse modo que deve continuar sendo como é.
           É então por nossas decisões a segunda forma que surgem em nossas vidas os caminhos que seguimos. E às vezes as pessoas precisam ser lançadas em situações limítrofes para fazerem as escolhas corretas. Sabe aquela pessoa que vive sua vida sendo levada por coisas banais, sendo levada pelo pecado; às vezes é preciso o Senhor fazer com que ela passe uma grande dificuldade para despertá-la a trazê-la a Si!
           E também muitas das mais importantes decisões de nossas vidas devem-se ao conhecimento que adquirimos. Sim, conhecimento gera mudança, quanto mais se conhece sobre algo mais você terá uma perspectiva e um comportamento diferente com relação àquilo que você está conhecendo melhor. Por isso o pensamento exposto pelo povo na Época de Oséias expressa um desejo que deve ser de todos nós: “[...] conheçamos, e prossigamos em conhecer ao Senhor [...]” (Os 6.3). Quanto mais conhecemos ao Senhor tanto mais estaremos sendo por Ele mudados.
           Essas são as vias pelas quais surgem muitos caminhos que as pessoas seguem. Mas Jesus não fala de si como sendo mais um caminho. Ele é O CAMINHO.
           Ele é o caminho que não é enganoso. Provérbios 16.25 já adverte: “Há caminho que parece direito ao homem, mas afinal são caminhos de morte”. Jesus Cristo é o caminho da vida.
           Ele é o caminho que vale a pena percorrer. Como cristão você às vezes se sentirá cansado, às vezes quererá voltar atrás, achará o caminho espinhoso, mas no final será grato ao Senhor por lhe fazer percorrer esse caminho. Verá finalmente o quanto valeu apena.


II - Jesus, a verdade revelada do Pai.

           Dentre as verdades que existem neste mundo há uma que está acima de todas: Jesus é Deus revelado ao homem. “Nisto se manifestou o amor de Deus em nós: em haver Deus enviado o seu Filho unigênito ao mundo, para vivermos por meio dele. Nisto consiste o amor: não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que ele nos amou e enviou o seu Filho como propiciação pelos nossos pecados” (1 Jo 4.9, 10). E ele se revelou em amor, enviando Seu Filho para viver e morrer por nós. Sendo assim o próprio Jesus é a manifestação máxima do amor de Deus por nós.
           A Bíblia revela Jesus como sendo o esplendor a glória do Senhor, n’Ele há a plena revelação da Divindade, “Ele, que é o resplendor da glória e a expressão exata do seu Ser [...]” (Hb 1.3a). “Este é a imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação; pois, nele, foram criadas todas as coisas, nos céus e sobre a terra, as visíveis e as invisíveis, sejam tronos, sejam soberanias, quer principados, quer potestades. Tudo foi criado por meio dele e para ele. Ele é antes de todas as coisas. Nele, tudo subsiste. Ele é a cabeça do corpo, da igreja. Ele é o princípio, o primogênito de entre os mortos, para em todas as coisas ter a primazia, porque aprouve a Deus que, nele, residisse toda a plenitude e que, havendo feito a paz pelo sangue da sua cruz, por meio dele, reconciliasse consigo mesmo todas as coisas, quer sobre a terra, quer nos céus” (Cl 1.15-20).
           Sendo Jesus a verdade revelada de Deus todos são convidados a contemplar esta verdade absoluta, e por essa boa nova do Senhor ser transformado: “E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará. Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres” (Jo 8.32, 36).


III – Jesus é vida em plenitude com o Pai.

           O que Jesus quis implicar na sua afirmação sobre ser a vida? Ele é a vida no sentido que sendo o LOGUS divino é o gerador de toda a vida, como nos diz o apóstolo João no cap. 1.1-4: “No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus. Todas as coisas foram feitas por intermédio dele, e, sem ele, nada do que foi feito se fez. A vida estava nele e a vida era a luz dos homens”. Ele é a vida para nós também, como nos mostra o texto, porque é a luz dos homens. Isto significa que somente por intermédio dele que podemos entender, que podemos ver o verdadeiro sentido de nossas vidas. Ele ilumina nossas vidas, faz-nos ver aquilo não percebemos naturalmente. O Espírito Santo testemunha d’Ele nos corações dos pecadores para que tenham suas atitudes confrontadas com a santidade de Cristo e percebam que necessitam sair das trevas. 
          Ele é vida porque eleva a qualidade da vida humana, concede vida eterna. Vida eterna não tem apenas o sentido de existência infindável, aliás, isto está em segundo plano, a expressão aponta mais precisamente para a qualidade da vida que se tem em Cristo. “e a vida se manifestou, e nós a temos visto, e dela damos testemunho, e vo-la anunciamos, a vida eterna, a qual estava com o Pai e nos foi manifestada” (1 Jo 1.2); “E o testemunho é este: que Deus nos deu a vida eterna; e esta vida está no seu Filho. Aquele que tem o Filho tem a vida; aquele que não tem o Filho de Deus não tem a vida” (1 Jo 5.11, 12). Cristo é a vida eterna para nós, que é vida abundante, conforme Jo 10.10: “O ladrão vem somente para roubar, matar e destruir; eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância”. Esta vida abundante prometida por Cristo é a vida em paz espiritual, a vida na qual se tem consciência do verdadeiro sentido da existência, a vida voltada a glorificar a Deus, a vida em comunhão com a Trindade: obedecendo aos mandamentos do Pai, não entristecendo o Espírito Santo com nossos pecados, vivendo em nosso cotidiano semelhantemente como Jesus viveu.


Aplicações

1. Dizer que Jesus é o único caminho para o Pai é dizer que ele é o único caminho para a salvação. Você quer percorrer este caminho?

2. Irmão, sua missão é trazer outros a viver esse caminho!

3. Se você não vive a verdade de Deus, que é Cristo, vive no engano, mesmo se esse engano for confortável. Hoje você é chamado a sair das trevas apara luz.

4. E quanto a você crente, cresça no conhecimento e na plenitude dessa verdade, pois foi para isso que você foi chamado. E como consequência estará sendo usado pelo Senhor para que sua preciosa verdade chegue a outros.

5. Como está a sua vida? Sente-se vazio às vezes? Sente-se em dúvida quanto à sua eternidade? Seja qual for a qualidade da vida que você está vivendo não se compara com a vida em Cristo.

6. Quanto a você que já foi regenerado não esqueça que as pessoas devem perceber Cristo em sua vida. Sua vida deve atrair outros a viver para Cristo.


Conclusão

           De fato muitas coisas neste mundo é relativo, mas creio que existem absolutos, ainda que alguns queiram relativisá-los. No entanto, quer sigam quer não sigam Jesus sempre foi e continuará sendo ó único caminho de salvação. Quer acreditem ou não acreditem o evangelho (as boas novas em Cristo Jesus) é a verdade absoluta de Deus. Que vivam em Cristo ou não, somente ele pode conceder a vida mais plena para o ser humano.
           Meu desejo, é que você queira, sob a influência do Espírito Santo, por intermédio do Filho, viver essa comunhão com o Pai.


Soli Deo Gloria!

Nenhum comentário:

Postar um comentário