Daniel 1.8 - UM EXEMPLO DE LUTA PELA SANTIDADE

Sermão nº 126, pregado no Templo Sede da Igreja Batista dos Guararapes, no dia  28 de setembro de 2014, no Congresso Jovem.




Introdução

           Quando os judeus foram levados cativos para a Babilônia, como era com certeza costume dos babilônicos, eles agregaram jovens talentos do povo conquistado (v.4). Juntamente com outros jovens, Daniel iria trabalhar na Corte para ensinar-lhes a sua cultura e a sua língua. Pensemos que muitos jovens de muitas nações conquistadas estavam ali pelo mesmo motivo. Mas conquanto todos estavam em uma mesma situação de servidão, apenas Daniel, Hananias, Misael e Azarias tinham a fé no Deus único e verdadeiro. Então, eram diferentes, a postura deles diante daquele ambiente pagão também não poderia deixar de ser diferente. Vejamos, portanto, como Daniel e seus amigos se mantiveram em santidade mesmo com tantas tentações lhes rodeando, mesmo em um ambiente tão desfavorável.



I – Havia em Daniel uma firme resolução, Dn 1.8.



O texto nos revela um jovem, que firmemente em seu coração resolve agir de forma diferente, porque tem uma fé diferente. A sua confiança no Senhor e sua resolução em afastar-se das comidas consagradas aos ídolos babilônicos demonstram para nós algo importante. Podemos fazer uma leitura de que ele não estava se rendendo à pressão cultural de um ambiente pagão. Daniel não estava sendo um mero passivo produto do meio. É verdade que ele recebeu grandes privilégios. Estaria estudando e tendo acesso ao rei e sua Corte, estaria sendo bancado pelo rei e com a promessa de um bom futuro naquela nação. Era como estudar na melhor Universidade do mundo com uma bolsa de estudos e garantia de emprego assim que terminar o curso. Havia vantagens para ele. Mas o que ele percebeu de imediato foi que se não fosse firme iria acabar por transgredir contra o Senhor relativizando suas verdades na sua vida. Daniel não olhou primeiramente para as vantagens, mas desde o início sua preocupação foi agrar ao Senhor. Podemos dizer que naquela “universidade babilônica” ele pôde transitar sem vender sua alma ao diabo.
           E ele fez isto da forma mais correta. Ele não estava utilizando uma estratégia para manter sua saúde que desagradasse à Deus. E você, qual estratégia tem utilizado para todas as coisas da vida?
           Você foi transformado por Deus, portanto, tenha a firme resolução de viver para a glória d’Ele, de brilhar no meio da escuridão, de manter-se íntegro mesmo se estiver em um ambiente corrompido.
           Mas além de Daniel queremos considerar o exemplo de seus amigos.



II – Havia nos amigos de Daniel uma fidelidade inconsequente, Dn 3.16-18.


           Quando falamos de fidelidade inconsequente é para ressaltarmos que aqueles rapazes estavam dispostos a continuarem fieis ao Senhor independentemente de quais seriam as consequências. A ordem havia sido dada que diante do sinal dos toques musicais que anunciava o momento quando todos deveria se prostrarem diante da imagem de ouro do rei Nabucodonosor aquele que não se prostrasse seria lançado na fornalha. Mas eles com certeza lembravam das palavras do Senhor: “Ouve, ó Israel, o Senhor nosso Deus é o único Senhor.” (Deuteronômio 6:4). “Não terás outros deuses diante de mim. Não farás para ti imagem de escultura... Não as adorarás nem lhes darás culto” (Ex 20.3,4a,5a). E confiavam como demonstra o texto que o Senhor caso fosse de sua vontade poderia livrá-los da morte iminente. Ma algo interessante aqui é que eles eram fieis sem olharem as vantagens da fidelidade. Eles chegam a dizer no v. 18 que independentemente de terem livramento ou não da parte do Senhor estavam dispostos a continuar em fidelidade.
           O mundo também tem sua fornalhas para aqueles que continuarem inconsequentes em sua fidelidade à Deus. Pode ser a fornalha da exclusão de algum grupo, do desprezo, da ridicularização. Talvez seja o rótulo de retrógrado. é preferível ser visto dessa forma, do que ir pela opinião de uma maioria que está vivendo no erro.
           Não se prostre diante dos ídolos deste mundo. Muitos jovens cristãos são tentados a ceder e se prostrarem diante do pecado. Muitos são incentivados a se embriagarem com seus “amigos”, outros a viver uma sexualidade pervertida na prática do sexo antes do casamento. Tantos são tentados a mentir para seus pais, ver pornografia, curtir músicas maliciosas. Mas que haja em você uma fidelidade inconsequente, independentemente da reação dos outros continua vivendo em santidade ao Senhor!
           Voltemos agora para Daniel para notarmos o quanto aquele jovem, se tornou um homem consagrado ao Senhor.



III – Havia em Daniel uma consagração espiritual, Dn 6.10.



...três vezes por dia, se punha de joelhos, e orava, e dava graças, diante do seu Deus, como costumava fazer” (Daniel 6:10b).
           Por inveja outros presidentes de províncias armaram contra Daniel, no entanto, apesar de o momento não ser favorável ele manteve seu costume de orar e adorar ao seu Deus.
           Já sabemos como terminou essa história, como o Senhor livrou Daniel na cova de leões. Deus foi glorificado na vida de Daniel. E o livramento ocorreu porque ele e seus amigos consideravam que a oração e a adoração eram algo inegociável em suas vidas. Era preferível perder a vida a abandonar essas coisas. Lembremos que Deus procura verdadeiros adoradores que o adorem em espírito e em verdade (Jo 4.24).
           Nunca esqueça: Não há vida de santidade sem vida de oração, sem entrega total do nosso ser na adoração ao Senhor. Seja consagrado ao Senhor, e isto não é um conceito arcaico, muito pelo contrário. Que você possa pôr toda a sua vitalidade em uma vida de consagração àquele que te salvou, te aceitou, mudou e tem mudado sua vida!



Aplicação

1. Lembre-se que o diabo trabalha para que você conforme com ao mundo, mas Deus trabalha para que você seja diferente do mundo. Negue os manjares deste mundo e usufrua o baquete divino.

2. Vocês jovens, tem de conquistar muitas coisas nesta vida, mas não precisam abrir mão de agradar a Deus e cultivar seu relacionamento com ele.

3. Uma característica tanto de Daniel como de seus amigos era a coragem. Exerça a coragem: coragem de ser discípulo, coragem de ser o melhor que você puder ser em Cristo.

4. O segredo de uma vida que agrada a Deus é a consciência de que somos forasteiros, peregrinos, que a nossa pátria é a celestial. Nunca esqueça disso, e tenha sempre um olhar para a eternidade onde Cristo já preparou um lugar junto d’Ele (Jo 14.2).


Conclusão

1 Tessalonicenses 5:23: “Que o próprio Deus da paz os santifique inteiramente. Que todo o espírito, a alma e o corpo de vocês sejam preservados irrepreensíveis na vinda de nosso Senhor Jesus Cristo”.



Nenhum comentário:

Postar um comentário