05:14 Posted by PASTOR RIVALDO CONSTANTINO , , No comments

Ezequiel 2.2

Introdução: Todos nós somos chamados por Deus para servir. Somos chamados a servi-lo para louvor da sua glória. Somos chamados a glorificá-lo servindo ao outro, pois uma das melhores formas de glorificar a Deus é servirmos uns aos outros. O problema é que servir não é coisa fácil! Principalmente servir para a glória de Deus, sem qualquer interesse narcisista. Fica mais difícil ainda servir numa cultura que foi bombardeada pela mensagem de que devemos servir a nós mesmos; realizar os nossos desejos; buscar o nosso prazer; tudo de forma a “viver sem sentir dor”.
Elucidação: Quando Ezequiel foi chamado para o seu ministério o povo se encontrava cativo na Babilônia. O cap. 2, v. 2, assim como o restante do capítulo e todo o capítulo 3 é o SENHOR revelando a Ezequiel como seria o seu ministério, qual era a sua responsabilidade e o que o Senhor estava a exigir dele.
           Mas assim como Ezequiel todos nós somos chamados pelo Senhor, o que irá diferenciar são os dons e as responsabilidades que o Senhor concede, mas todos os cristãos têm um chamado especial.

CHAMADOS PARA SERVIR

I – A CONSCIÊNCIA DE QUEM SERVE
Ezequiel aprendeu que quem serve precisa ter consciência de algumas coisas indispensáveis.
a) Consciência de quem realmente somos
Ezequiel é chamado de “Filho do homem” em pelo menos 94 ocasiões ao longo de todo o livro, começando aqui no seu chamado (Ez 2.1). Esse termo, como traduziu certa versão da Bíblia (“criatura humana”), serve para destacar a natureza frágil e dependente do profeta (ou daquele que serve). Apesar de todos os privilégios (revelações especiais, etc.), Ezequiel precisava se lembrar sempre de que ele não passava de “criatura humana”. Tudo de bom e especial que ele possuía ou desfrutava, vinha das mãos do Senhor.
           É certo que em Daniel esse título recebe maior honra, mas em Ezequiel ele nos ensina que o servo nunca pode se esquecer de que ele não passa de “criatura humana”. Não pode haver orgulho no coração de quem serve.
b) Consciência de quem são aqueles a quem servimos
Muitos são de longas datas insubmissos (ao Senhor, à sua Palavra e a nós também), V. 3-6.
           É ressaltado a Ezequiel que o povo a quem ele iria pregar era de coração duro e obstinado em suas maldades, e, portanto, ele não deveria esperar facilidades em sua missão.
           Todos estão contaminados pelo pecado, 3.18-19. Você não é chamado para servir apenas aqueles que estão na igreja. Entenda-se aqui o servir como a pregação do evangelho.
c) Consciência de como devemos medir os resultados de nosso serviço
A forma mais importante de medição dos resultados do nosso serviço ao senhor não são os aplausos, o reconhecimento dos outros ou o número de vidas que se convertem enquanto pregamos. O resultado do nosso serviço deve ser medido pela nossa fidelidade ao senhor, (Ez 2.5, 7-8), é isso o que o Senhor espera dos seus servos. É mais importante do que qualquer resultado quantitativo.
           Nem sempre o problema está nós – que ensinamos, pregamos, exortamos ou lideramos – mas justamente na rebeldia daqueles a quem estamos servindo (Ez 3.4-7).

II – A CONVICÇÃO DE QUEM SERVE
a) Convicção da convocação divina: “Filho do homem, fique em pé, pois eu vou falar com você”. (Ez 2.1)
Você não foi chamado por homens, foi chamado(a) pelo Senhor. E quanto mais forte for esta convicção melhor enfrentará as turbulências que aparecerão em sua caminhada.
b) Convicção da capacitação divina
“Enquanto ele falava, o Espírito entrou em mim e me pôs em pé, e ouvi aquele que me falava” (Ez 2.2). Quando Deus nos convoca, ele nos capacita. O testemunho de Ezequiel é uma grande prova disso. Deus nos capacita pela Palavra e pelo Espírito.
c) Convicção do comunicado divino
Ezequiel foi chamado para trazer uma mensagem de esperança ao povo cativo, mas antes era necessário ele anunciar os pecados do povo e das demais nações. E ele levou a mensagem sob sua responsabilidade. Se você foi comissionado pelo Senhor a levar a Palavra, não leve outra coisa, leve a Palavra, não diga simplesmente o que você quer dizer ou o que as pessoas desejam ouvir, mas fale a Palavra.
          Porém, algo muito interessante é visto aqui no chamado de Ezequiel, antes de ele pregar foi necessário que ele se alimentasse espiritualmente, 2.8 - 3.4.
           Há algo mais a ser observado além da consciência e da convicção de quem serve ao Senhor.

III - A CONDIÇÃO PARA QUEM SERVE
Observamos pelo exemplo de Ezequiel e por toda a Palavra que é exigido daqueles que querem servir ao senhor fielmente que estejam vivendo sob determinadas condições; quais sejam elas: a) Coragem – Ez 2.6; b) Conteúdo – 2.8; c) Constância – 3.7-9, o Senhor afirma nestes versículos que capacitaria o profeta de uma forma especial para ele ser perseverante.
d) Consagração – É algo que com certeza deve estar sempre presente e, cada um de nós. Consagração é preservação, é cuidado, é investimento na vida espiritual.
e) Compromisso – 3.16-27 – Você tem compromisso de pregar o evangelho tanto a não crentes (16-19) quanto a crentes (20-21). Mas lembre-se que o seu compromisso é com o Senhor, logo pregue apenas a palavra do Senhor (3.26 – Ezequiel não deveria se defender ou falar o que bem quisesse, mas somente o que Deus lhe mandasse falar).

Aplicação: 1. Você foi chamado(a) para servir. Não olhe apenas para as dificuldades daquilo que você tem realizado. Se houver incompreensão de algumas pessoas, lembre-se que à semelhança de Ezequiel nenhum de nós foi chamado para algo fácil.
2. Para saber se você tem servido fielmente ao Senhor não olhe para números, mas para o seu coração, olhe para sua motivação interior, se estar trabalhando para a glória de Deus, por amor e gratidão ao Senhor.
3. Não tenha dúvida daquela máxima: o Senhor não chama os capacitados, mas capacita os escolhidos. Ele faz questão disso, porque a glória daquilo que realizamos não nos pertence por conta de nossa inteligência, nossas capacidades, a glória pertence ao Senhor; o senhor dos dons, o Senhor que faz crescer em graça e poder do Espírito.
4. Em que você foi chamada(o) para servir ao Senhor em sua igreja? Não use a desculpa de que não tem condições, de que não fazer, o Senhor de capacitará.
5. Sei que sempre há dificuldades, mas seja perseverante no serviço ao Senhor.
6. No serviço ao Senhor não esqueça de você. Busque ter conteúdo bíblico. Busque ter uma vida consagrada ao Senhor, uma espiritualidade sadia, equilibrada e fervorosa.

Conclusão:
Você quer ser feliz? Entregue a sua vida!
·         Entregue a sua vida a Cristo e ame a Deus de todo o seu coração
·         Entregue a sua vida ao próximo em serviço e alegria, como se fosse a si mesmo.
                     Nós amamos, servimos e cuidamos dos outros porque esta é a conduta normal de pessoas cheias do Espírito de Deus. Somos cristãos. Cristo foi o servo maior. Não podemos deixar de servir porque o Espírito do Servo tem enchido nosso coração. Quando servimos, estamos sendo apenas quem naturalmente somos.
Steve Sjogren
Vendo além dos muros da igreja

0 comentários :

Postar um comentário

Categorias de postagens - Escolha seu tema

A PALAVRA ABEL ABRAÃO ABRÃO ADORAÇÃO ADVERSIDADE AGAR ALEGRIA ALMA AMOR amor de Deus ANABATISTAS ANDAR COM DEUS ANJOS APÓSTOLOS ARREPENDIMENTO AUSÊNCIA DE PAZ autocontrole AUTONEGAÇÃO AUTORIDADE BABEL BAIXOS BARRABÁS BARTIMEU BATISMO DO ESPÍRITO SANTO BATISTA BATISTA NACIONAL Bibliologia BONDADE BÊNÇÃO CAIM CALVINO CELEBRAÇÃO CHAMADO CLAMOR COMUNHÃO COMUNIDADE CONDENA CONDENAÇÃO CONFIANÇA confiança no Senhor CONFORMISMO CONHECIMENTO CONSPIRAÇÃO CONSTANTINO CONVICÇÃO CORDEIRO CORPO DE CRISTO CRESCER CRESCIMENTO CRESCIMENTO ESPIRITUAL CRIAÇÃO CRUZ CURA CÉSAR DAVI DEPENDÊNCIA DESCONTENTAMENTO DEUS DIACONATO DIACONIA DIGNO DINHEIRO DISCILINA DISCIPLINA DISCIPULADO DISCÍPULO DISCÍPULOS DIÁCONO DIÁLOGO dons espirituais EDUCAÇÃO EDUCAÇÃO CRISTÃ elegria ELEIÇÃO ENOQUE ENSINO ENVIADOS EPÍSTOLAS ESDRAS ESPERANÇA ESPIRITUALIDADE ESPÍRITO SANTO ESTADO EVANGELHO EVANGELISTA EVANGELIZAÇÃO FARISEUS FESTAS JUDAICAS fidelidade FIRMEZA FORMAS FRANÇA FUNÇÃO FUTURO GETSÊMANI GOMORRA GRATIDÃO graça GRAÇA COMUM GRAÇA DE DEUS GRAÇA ESPECIAL GUIADO POR DEUS GÊNEROS GÊNESIS HEBREUS HERESIAS HERODES HERODIANOS HISTÓRIA HOMEM HOMILÉTICA; CALVINO; PREGAÇÃO HUMANIDADE HUMILDADE HUMILHAÇÃO IDOSOS IGREJA IGREJA PRIMITIVA IGREJAGREJA INCREDULIDADE indignação justa INGLATERRA INJUSTIÇA INTEGRIDADE INTERBÍBLICO INTERCESSÃO INTERIOR IRA IRA DE DEUS IRADO ISMAEL ISRAEL JEJUM JESUS JOVEM JUDAS julgamento JUSTIFICAÇÃO JUSTIÇA DIVINA JUÍZO DIVINO LAUSSANE LIBERTAÇÃO LITERÁRIAS livramento LOUVOR LUTERO luz MACABEUS MANDAMENTOS MANIFESTAÇÕES SOCIAIS MARIA MATURIDADE MENSAGEM MINISTÉRIO PASTORAL misericórdia MISERICÓRIDIA MISSÃO MOVIMENTOS LEIGOS MULHERES mundo MÃE MÚSICA NAZARÉ NECESSITADO NEGAÇÃO NOVO TESTAMENTO NOÉ OBEDIÊNCIA oferta OFERTAS OFÍCIO ORAÇÃO OVELHA PAI PALAVRA PALESTINA PARÁBOLAS PASTORES PAULO PAZ PAZ COM DEUS PAÍSES PECADO PECADORES PEDRO PERSEGUIÇÃO PERSEVERANÇA perseverança dos santos PERÍODO PILATOS plenitude POBRE POSSESSÃO PRAGMATISMO PRECURSORES DA REFORMA PREDESTINAÇÃO PREGADORES PRESO profetas proposicional PROTEÇÃO PROVAÇÃO PROVIDÊNCIA PRÁTICA CRISTÃ PUREZA PÁSCOA PÃES ASMOS PÓS-MODERNIDADE RAMOS REDENÇÃO REFORMA REFORMA PROTESTANTE REINO DO NORTE rejeitado RELAÇÃO renovação RENÚNCIA RESENHA RESTAURAÇÃO revelação REVOLTA RIQUEZA ROBINSON CAVALCANTI ROMANOS SACERDOTES SACRIFÍCIO Salmo 4 SALVAÇÃO SAMARIA SANTIDADE SANTIFICAÇÃO SARA SATISFAÇÃO EM CRISTO sentimentos SER LEMBRADO SERMÃO PROFÉTICO SERVIÇO SERVO SINÉDRIO SOBERANIA SOBERANIA DIVINA SOBERANO SOCIEDADE SODOMA SOFRIMENTO temor TEMORES TEMPLO TENTAÇÃO TEOLOGIA DO ANTIGO TESTAMENTO TEOLOGIA LUTERANA TEOLOGIA PASTORAL TESOURO TESTEMUNHAS TESTEMUNHO TRAIDOR TRAIÇÃO transfiguração TRIBUTO UNIDADE VELHICE VETEROTESTAMENTÁRIA VIDEIRA VIGILÂNCIA VOLTA DE CRISTO VONTADE ZIGURATS ZWÍNGLIO ÉTICA

Outros Blogs

http://www.gracadivina.blogspot.com http://influenciacrista.blogspot.com http://culto-racional.blogspot.com/ http://tempora-mores.blogspot.com/ http://www.projetospurgeon.com.br/ http://ibgmuribecadosguararapes.blogspot.com/