Tiago 4.1-10

Introdução: PISARIAS JESUS?
Vinte e seis pessoas morreram porque não pisaram uma imagem de Jesus.
No século XVII alguns Cristãos serviam fielmente o Senhor numa ilha do Japão.
Segundo o missionário Tim Johnson, um líder provincial, chamado shogun, decidiu que esses crentes eram uma ameaça para a cultura tradicional, por isso concebeu uma armadilha diabólica.
Colocou uma imagem de Jesus na rua e exigiu que os cristãos na sua província pisassem a imagem em renúncia à sua fé.
Quando o teste acabou, 26 pessoas tinham-se recusado a fazê-lo. Foram crucificados à beira da água, para todos verem. 
Elucidação: A epístola de Tiago é classificada como uma “epístola universal” por ter sido escrita não para uma igreja específica, mas para todos aqueles crentes que se encontravam espalhados fora da Palestina. Eram cristãos judeus que foram dispersos devido à primeira perseguição à igreja, ocorrida após a morte de Estevão (At 8.1). Estas pessoas se encontravam na Fenícia, Chipre, Antioquia da Síria e em outros lugares (At 11.19). Este Tiago era o irmão de Jesus e pastor da igreja de Jerusalém, escreve, portanto preocupado com suas ovelhas que se encontravam dispersas. Ele escreve para encorajar a enfrentarem as provações que punham sua fé à prova, para corrigir crenças errôneas a respeito da natureza da fé salvífica e para instruir os leitores a respeito do resultado prático da fé na vida de retidão e nas boas obras.
           No texto em apreço Tiago adverte aqueles irmãos quanto à fidelidade ao Senhor, mostrando-lhes que não deveriam viver em adultério espiritual e esclarecendo a forma de viverem em verdadeira fidelidade ao senhor. Logo, a partir desse texto iremos refletir um pouco sobre como viver em fidelidade ao Senhor.

ENTENDENDO COMO VIVER A FIDELIDADE AO SENHOR

I – A FIDELIDADE AO SENHOR SÓ PODE SER VIVIDA EM UNIDADE COMO IGREJA, 1-3.
A preocupação de Tiago quanto aos relacionamentos entrem os irmãos perpassa toda a epístola, isso porque ele compreendia que eles só estariam sendo verdadeiramente fieis ao Senhor se de fato estivessem vivendo em comunhão uns com os outros. Mas a verdade é que entre eles estava havendo “guerras” (polemom, conflitos) e “contendas” (machai, que significa inimizades que separam as pessoas. Tiago faz uma pergunta: de onde vêm essas guerras, esses conflitos; e ele mesmo dá a resposta: ek ton hedenon, das paixões, prazeres procurados com intenso desejo. Ora, ele menciona que esses prazeres militavam no interior de cada um deles (em tois melesim umom, em vossos membros, dentro de vocês). O que ele diz é que a presença das discórdias no seio da comunidade não era gerada por outra coisa senão pela natureza carnal deles próprios, suas naturezas pecaminosas, que eles estavam permitindo que tomassem conta de suas ações. Estavam preocupados cada um com o seu próprio prazer, com sua própria vontade, com seus próprios direitos, não estavam olhando e se preocupando com o coletivo. Isso é muito contemporâneo, pois muitos hoje estão preocupados com seus interesses pessoais, mas quero lhe dizer que a comunhão da igreja de Cristo deve estar acima de seus próprios interesses.
           v. 2 - Epitumeitê (pres. Ind. At. desejar, ansiar por). Infelizmente, conforme traduz a NVI “vocês cobiçam coisas”, o que eles desejam eram bens materiais, o que havia era uma busca intensa pelo prazer de ter mais coisas, de prosperar, uma ambição desmedida. Eles deveriam na verdade lembrar de que Jesus manda buscar em primeiro lugar o reino de Deus e sua justiça. Esta cobiça presente na vida deles fazia com que fossem individualistas e supérfluos. Se isto pode ser dito sobre aquelas pessoas naquela época, o que poderíamos dizer sobre o presente momento em nossa sociedade. Certamente que você já ouviu muitos incentivos para ser fiel ao Senhor com a promessa então da bênção divina decorrida da obediência. Não quero aqui negar que Deus pode e de fato abençoa a muitos que vivem em obediência, mas quero afirmar que se você está na igreja para viver uma suposta obediência como investimento para uma possível prosperidade, você está com o foco errado do que seja vida com Deus. Comunhão e fidelidade ao Senhor implica viver em amor no corpo de Cristo. Lembre-se de I Co 13: “o amor... não procura seus interesses...”, ou seja, o egoísmo é descartado, igualmente o individualismo.
           v. 3 - Este versículo nos mostra que alguns daqueles irmão estavam tão enganados que até suas orações estavam maculadas por motivações erradas. Pediam ao Senhor meramente para gastar (dapanasete, gastar sem preocupação, no sentido de esbanjar), desejando apenas a satisfação de seus prazeres. Sem nenhuma preocupação com o outro, portanto prejudicando a comunhão da igreja de Cristo, logo, sendo infiel ao Senhor.
           Além dessa verdade bíblica que o texto nos mostra de que não é possível ser fiel ao Senhor sem haver comunhão com os irmãos, de igual modo afirmamos que:

II – A FIDELIDADE AO SENHOR SÓ PODE SER VIVIDA EM OPOSIÇÃO AO MUNDO, 4-6.
O apóstolo começa o v. 4 com uma expressão interessante: moichalides, que é o adjetivo no plural “adúlteras”, isso não é por acaso, a ideia é de mencionar que a igreja estava se tornando a noiva adultera e que eles estavam esquecendo-se de sua aliança com o Senhor. O termo era uma figura de linguagem particularmente do A. T., para indicar a infidelidade a Deus e a prática da idolatria. Aqui, o mundo é o falso deus. Em outras palavras ao barganhar com o mundo, ao permitir que seus valores distorcidos e anticristãos adentrem a igreja, influa nos seus comportamentos estavam na verdade tornando-se inimigos de Deus, pois estava fazendo uma troca, fazendo do mundo o seu deus e negando ao Senhor. Quando me refiro ao mundo é obvio que trata-se do sistema cultural que contraria os princípios das Escrituras, alguns dos quais Tiago já citou direta ou indiretamente; egoísmo, cobiça, soberba, auto-suficiência (pois não buscavam ao Senhor em oração, Tiago diz que eles não pediam ao Senhor). O cristianismo não pode andar de mãos dadas com o sistema maligno do mundo, como diz Kierkegaard: “No dia que o cristianismo e o mundo se tornarem amigos, o cristianismo deixará de existir”. Mal preciso dizer que oposição ao mundo não implica afastamento das pessoas do mundo, não implica irresponsabilidade social, não implica falta preservação ambiental e coisas semelhantes, pelo contrário a Palavra de Deus incentiva e a essas práticas. Refiro-me aqui ao sistema ético moral contrário às Escrituras e que domina o pensamento comum da sociedade, no que se cumpre na realidade a afirmação de bíblica “...o mundo inteiro jaz no Maligno” (I Jo 5.19).
           Vamos olhar agora para o que diz o versículo 5:
Aqui, embora Tiago não cite de forma literal nenhum texto do AT, há na realidade uma referência ao mesmo. Ele usa uma linguagem do AT. Em Êxodo 20.5: Não as adorarás, nem lhes darás culto; porque eu sou o Senhor, teu Deus, Deus zeloso, que visito a iniqüidade dos pais nos filhos até à terceira e quarta geração daqueles que me aborrecem. A palavra zelo aqui também significa ciúme. Em Naum 1.2, lemos: O Senhor é Deus zeloso e vingador, o Senhor é vingador e cheio de ira; o Senhor toma vingança contra os seus adversários e reserva indignação para os seus inimigos. A idéia aqui é que quando o povo de Deus flerta com o mundo, Ele não fica indiferente. O Senhor nos chamou para integralmente D’ele, portanto, não está disposto a um compromisso conosco pela metade. Sejamos do Senhor sem reservas, não há como servirmos a dois senhores ao mesmo tempo, Deus nos quer por completo, em todos os âmbitos, em todos os tempos, em todos os lugares.
           v. 6 - Àqueles que querem viver segundo seus próprios pensamentos a Palavra os qualifica como soberbos, pessoas que não querem reconhecer seus pecados, que não querem reconhecer que dependem do Senhor para conseguirem viver em obediência. Pessoas que possivelmente também se consideram humildes, mas que não são consideradas assim pelo Senhor. Como escreveu C. S. Lewis: “Um homem nuca é tão orgulhoso quanto quando adota conscientemente uma atitude de humildade”. É o orgulho por uma pretensa humildade, que não é humildade, pois a verdadeira humildade não vive a mencionar sua humildade, a tentar mostrá-la e ser apreciado por conta dela, ele apenas a vive. O humilde aqui então é aquela pessoa que se deixa influenciar pelos preceitos divinos, prostra sua vida diante do senhor para ser dominada pela sua vontade. Reconhece seu pecado e que depende do Senhor para vencê-lo. A esses como diz o texto: Deus dá graça. Esta graça não é a graça salvadora que Tiago menciona aqui, mas uma capacitação espiritual para obedecer, para vencer o Maligno.
           Mas, além disto, é necessário algo que parte do nosso interior que influenciará todo o nosso exterior.

III – A FIDELIDADE AO SENHOR SÓ PODE SER VIVIDA EM CONTRIÇÃO ESPIRITUAL, 7-10.
Essa contrição espiritual, que é como devemos nos encontrar diante de Deus, nossa sensibilidade espiritual, reflete-se em atitudes práticas na vida. Primeira: submissão à Deus: Submissão ao Senhor não é fazermos o que queremos e depois pedir sua bênção pra aquilo que queremos, é antes o oposto disso. É estar completamente dependente de Deus em tudo nessa vida, de tal forma que nada é feito sem antes consultar Sua Palavra, e ouvir dele a orientação. É agindo assim que fato estaremos crendo que a vontade do Senhor é boa, perfeita e agradável (Rm 12.2). E submeter-se a Deus não é um peso, mas uma alegria e prazer.
           Segunda, “resisti ao diabo, e ele fugirá de vós” (v. 7). Para resistir ao diabo é necessário vigilância e oração. Devemos como nos diz Ef. 6.10-18, tomar toda a armadura de Deus:
                    Finalmente, fortaleçam-se no Senhor e no seu forte poder. Vistam toda a armadura de Deus, para poderem ficar firmes contra as ciladas do Diabo, pois a nossa luta não é contra seres humanos , mas contra os poderes e autoridades, contra os dominadores deste mundo de trevas, contra as forças espirituais do mal nas regiões celestiais. Por isso, vistam toda a armadura de Deus, para que possam resistir no dia mau e permanecer inabaláveis, depois de terem feito tudo. Assim, mantenham-se firmes, cingindo-se com o cinto da verdade, vestindo a couraça da justiça e tendo os pés calçados com a prontidão do evangelho da paz. Além disso, usem o escudo da fé, com o qual vocês poderão apagar todas as setas inflamadas do Maligno. Usem o capacete da salvação e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus. Orem no Espírito em todas as ocasiões, com toda oração e súplica; tendo isso em mente, estejam atentos e perseverem na oração por todos os santos. O apóstolo Pedro escreve de forma muito similar a Tiago sobre este assunto em 1 Pe 5.5-8:
5) Semelhantemente vós jovens, sede sujeitos aos anciãos; e sede todos sujeitos uns aos outros, e revesti-vos de humildade, porque Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes.
6) Humilhai-vos, pois, debaixo da potente mão de Deus, para que a seu tempo vos exalte;
7) Lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós.
8) Sede sóbrios; vigiai; porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa traga
           Terceira, “aproximem-se de Deus” (v. 8). Aquele que se aproxima do senhor com coração sincero certamente o encontrará.
           Quarta atitude prática: “Purificai as mãos, pecadores” (v. 8). Os judeus tinham a prática de lavar as mãos antes de suas celebrações religiosas. O autor aqui faz uso dessa linguagem para nos dizer que necessitamos de manter nossa vida livre da sujeira do pecado.
           Quinta: “vós de ânimo dobre, purifiquem o coração” (v. 8). A melhor tradução aqui não é ânimo dobre, mas mente dividida [dispuchos, literalmente “duas almas”]. É uma chamada ao arrependimento a pessoas que abandonaram o seu primeiro amor. Eles deveriam fazer um auto-exame e voltarem-se ao Senhor.
           Sexta: “Afligi-vos, lamentai e chorai” (v. 9). Tiago aqui está esperando um quebrantamento que precede um avivamento. O ministério do Espírito Santo é convencer o homem do pecado, da justiça e do juízo (Jo 16.8-11). Quando isso ocorre há choro pelo pecado, quebrantamento real.
           Sétima: “Humilhem-se diante do Senhor e ele vos exaltará” (v. 10). Tiago volta aos inícios de suas exortações, para que os irmãos se aproximem de Deus da única maneira aceitável a Ele.
           Diante de tudo isso não podemos esquecer:

APLIAÇÃO: 1. Se você não tem conseguido viver a comunhão dentro do corpo de Cristo, peça graça ao Senhor para tal, pois não há verdadeiro evangelho sem isto.
2. Cuidado para não negociar seus valores cristãos apenas para ser agradável a algumas pessoas ou ser politicamente correto. Também não é necessário ser um chato que não entende a situação de cegueira espiritual das pessoas e que por isso quer ganhar um debate no grito. Debates não se ganha no grito, mas com argumentos coerentes. Ademais, é apenas o Espírito santo quem converte, a você cabe anunciar a verdade de Deus e defendê-la sim contra as ideias relativistas dos nossos dias.
3. Como está sua sensibilidade espiritual? Você tem se entristecido pelos seus pecados, ou isto tem sido indiferente a você?

CONCLUSÃO: Cuidado meu irmão(ã), ao negligenciar sua vida espiritual, em um sentido não físico você está pisando Jesus, pense nisso.

Ao Rei dos reis toda a Glória!!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário