Tiago 1.1-4

INTRODUÇÃO: Em 1876 na Inglaterra, foi passada uma lei que obrigou todos os navios a terem uma marca pintada na lateral que indicava o seu limite de frete. Quando o navio baixava na água até aquela marca, não era permitido que fosse embarcada mais mercadoria. O uso compulsório desta marca tornou as viagens marítimas daqueles dias muito mais seguras. À vista de Deus, cada um de nós tem uma marca semelhante. Os fardos e responsabilidades que Ele nos permite carregar podem parecer insuportáveis. Mas, Ele conhece os nossos limites, e não nos permitirá passar por mais do que temos condições de suportar


ELUCIDAÇÃO: A epístola de Tiago é classificada como uma “epístola universal” por ter sido escrita não para uma igreja específica, mas para todos aqueles crentes que se encontravam espalhados fora da Palestina. Eram cristãos judeus que foram dispersos devido à primeira perseguição à igreja, ocorrida após a morte de Estevão (At 8.1). Estas pessoas se encontravam na Fenícia, Chipre, Antioquia da Síria e em outros lugares (At 11.19). Este Tiago era o irmão de Jesus e pastor da igreja de Jerusalém, escreve, portanto preocupado com suas ovelhas que se encontravam dispersas. Ele escreve para encorajar a enfrentarem as provações que punham sua fé à prova, para corrigir crenças errôneas a respeito da natureza da fé salvífica e para instruir os leitores a respeito do resultado prático da fé na vida de retidão e nas boas obras.
           Ele inicia sua epístola falando sobre as provações e de como isto é importante para a nossa santificação, e é sobre isto que queremos meditar um pouco neste momento:

Tema: PROVADOS PARA SERMOS APERFEIÇOADOS

I – SER PROVADO É MOTIVO DE ALEGRIA, V.2.
1.      É nosso dever nos alegrarmos.
           No versículo dois nós temos uma expressão no imperativo, é o verbo “eguesaste”, - tenham – que é imperativo ao substantivo “charan” (alegria, gozo), que por sua vez faz referência a alegria que deve estar presente em nossas vidas nos momentos de provações. O apóstolo literalmente transmite àqueles crentes uma ordem de que deveriam alegrar-se pelo fato de estarem passando provações. Isto está totalmente de acordo com as palavras de Jesus em Mt 5.11 e 12: “Bem aventurados sois quando, por minha causa, vos injuriarem, e vos perseguirem, e, mentindo, disserem todo mal contra vós. Regozijai-vos e exultai, porque é grande o vosso galardão nos céus; pois assim perseguiram aos profetas que viveram antes de vós”. Paulo também diz em Rm 5.3: “E não somente isto, mas também nos gloriamos nas próprias tribulações, sabendo que a tribulação produz perseverança...”. De igual modo o apóstolo Pedro confirma esta verdade em 1 Pe 1.6: “Nisso exultais, embora, no presente, por breve tempo, se necessário, sejais contristados por várias provações...”. Assim sendo pela grandiosa sabedoria de Deus, Ele nos ordena à alegria diante da prova da nossa fé.
           Como isto é possível? Não podemos simplesmente decidir nos alegrar e assim acontecer, trata-se aqui de sentimentos, não é tão simples. A questão do problema se encontra em nossa perspectiva de como encaramos as coisas. Ou seja, como vamos encarar aquilo em nossas vidas que servirá para provar nossa fé? Se já tivermos em mente que é motivo de alegria para nós nos alegrar ficará por assim dizer menos difícil passar pela prova com satisfação espiritual. Não se trata aqui de masoquismo (prazer no sofrimento), mas de saber que Deus trata conosco de diversas formas para o nosso bem e que nisto devemos nos alegrar, pois é um privilégio sabermos que o Senhor não é indiferente a nós, Ele prova nossa fé, porque nos ama, e esta prova seja ela qual for não deve ser motivo de tristeza e conseqüente afastamento do Senhor. Assim sendo meu irmão e minha irmã, por difícil que sejam as provas que você esteja passando, alegre-se no Senhor, para tal lembre-se que o Senhor lhe trata como filho e que o que está havendo em sua vida produzirá em você uma fé madura.

2.      As provações serão várias.
           Tais tentações eram várias (gr. poikilos), isto é, "variegadas" ou "de muitas cores". A palavra refere-se à variedade das provações, antes que ao seu número. Ou seja, provações de todos os tipos.
           Não pense que porque você passou por determinada prova, por difícil que tenha sido, não mais será provado(a). E nem desanime se em sua vida você perceber que vive sendo constantemente provado, pois se assim for é porque é necessário, observe o que o texto diz a seguir, fala de santificação e a provação é um elemento importante neste processo maravilho que vivenciamos.


II – TER NOSSA FÉ PROVADA PRODUZ PERSEVERANÇA, V. 3.
1.      O que é provado é nossa fé.
           Lembremos que Tiago estava escrevendo aos cristãos sob perseguição por motivo de terem crido em Cristo como sendo o Messias, e que, portanto eram tentados a negarem e ou abandonarem sua fé, ou seja, ou a descrerem em Cristo ou mesmo crendo não terem compromisso com Ele. Havia para aquelas pessoas circunstâncias externas que as pressionavam e que colocavam em teste aquilo em que acreditavam e que fazia agora parte de seu discurso.
           De igual modo nós somos em nossas provações tentados a descrer na bondade e sabedoria divina, ou relaxarmos em nosso compromisso com Ele. Porém, por mais contraditório que possa parecer, é justamente por passar por momentos assim que a nossa fé pode ser fortalecida e que podemos nos tornar mais perseverantes na caminhada cristã.

2.      Fé que necessita ser aprovada.
          “Perseverança", que capacita a pessoa a resistir ao aperto das circunstâncias externas. É uma graça de Deus para caminhar mesmo em meio aos apertos e perseguições. Se nossa fé resiste a ataques, perseguições, tentativas de ridicularização, nos tornamos cada vez mais firmes e fortalecidos para enfrentar situações futuras.
          Creio que o Senhor concede a todo aquele que busca com sinceridade o poder necessário para resistir a pressões externas e continuar perseverante. Lembro-me de exemplos de pessoas, de modo especial jovens que por passarem a vivenciar um novo contexto, como por exemplo estar em um ambiente onde sua fé será provada como ambiente de faculdade, onde há aqueles “babacas” que acham que sabem de alguma coisa e por vezes tentam humilhar aqueles que são servos de Deus, e estes por não perceberem o que de fato está havendo acabam por esfriarem na fé. Mas a todos que buscam sinceramente receberão a graça divina de resistir a qualquer tentação e superar qualquer provação de sua fé. A perseverança é possível, mas na graça de Deus, é como diz o apóstolo Paulo: “Quando sou fraco, então é que sou forte” (2 Co 12.10b).

III – TENDO PERSEVERANÇA SEREMOS APERFEIÇOADOS, V. 4.
1.      Para sermos perfeitos.
           Essa graça da perseverança deve ter ampla liberdade, até completar sua obra, fazendo-nos perfeitos e íntegros, em nada deficientes (4). Perfeitos aí não quer dizer sem pecado, porém "maduros" ou "plenamente desenvolvidos". A palavra grega é teleios, que significa ter alcançado seu fim, ter ficado completo. Quando se refere a pessoas, indica primeiramente desenvolvimento físico; depois, em sentido ético, quer dizer pleno crescimento ou maturidade. A idéia aqui é de perfeição no sentido de um relacionamento correto com Deus, que frutifica no empenho sincero de amá-lo de todo o coração em obediência irrestrita e uma vida inculpável. É como diz Dt 18.13 “Perfeito serás para com o SENHOR, teu Deus”. Jesus cita Dt 6.5 em Mt 22.37: “Respondeu-lhe Jesus: Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu entendimento”.
           Fica então claro que nenhum cristão pode chegar à maturidade espiritual sem que antes tenha passado por provações.

2.      Para sermos íntegros.
           Íntegros (gr. holokleros) significa completos em todas as partes, ou "em nada deficientes", como Tiago mesmo diz. Em 1 Ts 5.23 o apóstolo Paulo deseja aos tessalonicenses que “O mesmo Deus da paz vos santifique em tudo; e o vosso espírito, alma e corpo sejam conservados íntegros e irrepreensíveis na vinda de nosso Senhor Jesus Cristo”.
           Significa então que como cristãos não deve faltar em nossas vidas nada daquilo que o Senhor exige de nós. A seguir ele fala daqueles que necessitam de sabedoria e que se pedirem receberão do Senhor. Há, porém, tantas outras coisas que poderíamos enumerar, para citarmos só algumas coisas que ele faz menção em sua epístola: prudência com as palavras, humildade, atitudes de amor como ajudar ao necessitado e também tratar a todos de forma igual, sem menosprezar os mais pobres. E tudo o mais que a Palavra de Deus nos revela para termos vidas santas.

Aplicação: 1. Há muito com o que você pode se alegrar, mesmo estando passando por provação, como por exemplo: a) o estar na casa de Deus: “Alegrei-me quando me disseram: Vamos à Casa do Senhor.”
b) ter as bênçãos de Deus – paz, saúde, prosperidade, amizade, família, filhos, pais, sonhos realizados, etc.
c) ter o Deus das bênçãos: “Então, irei ao altar de Deus, de Deus, que é a minha grande alegria; ao som da harpa eu te louvarei, ó Deus, Deus meu”. Se Deus de fato é a sua alegria serão menos difíceis os momentos de provações e você de fato poderá alegrar-se nelas.
d) ter a salvação; etc.

2 Em fé você estará seguro nas mãos de Deus, mas ainda assim haverá conflitos interiores, cabe a você diante desses conflitos: a) não negar sua fé; b) não recuar; e c) seguir avante.

3. Crescimento real produz alegria indescritível. Busque ser perfeito, não se conforme com seus pecados, seus defeitos, suas deficiências morais; este é um alvo para todos nós. Busque ser íntegro; integridade se manifesta em coisas práticas como honestidade, ter palavra, ser responsável, respeitador, etc.

Conclusão: Sempre é bom lembrar daquilo que as Escrituras nos dizem: Não vos sobreveio tentação que não fosse humana; mas Deus é fiel e não permitirá que sejais tentados além das vossas forças; pelo contrário, juntamente com a tentação, vos proverá livramento, de sorte que a possais suportar. 1 Coríntios 10.13.
Peçamos ao Senhor graça para podermos suportar as angustias da vida, pedir graça para sermos fieis todos os dias, aceitarmos as coisas que muitas vezes não gostamos.
Que o Senhor tenha misericórdia de todos os seus santos
A Ele toda a glória

Nenhum comentário:

Postar um comentário