ALGUMAS HERESIAS ENFRENTADAS PELO APÓSTOLO PAULO EM SUAS EPÍSTOLAS (UM BREVE RESUMO)





 
EPÍSTOLA AOS ROMANOS

          Na Epístola aos Romanos Paulo combate uma heresia que em outras epístolas também vemos a sua oposição. Trata-se do legalismo judaico, que fazia com que eles enxergassem a si mesmos como superiores em comparação com os gentios. Entendiam a circuncisão de forma errada, pensavam eles que pelo fato de serem circuncidados se encontravam em estado de privilégio diante de Deus. Paulo é enfático, no cap. 2, vers. 28 e 29, ele afirma que a verdadeira circuncisão é a que é do coração, que procede de Deus. O apóstolo Paulo ensina então que a justificação não é pelas obras da lei, mas unicamente pela graça de Cristo.
          Os judeus porém, entendiam que tal doutrina era um desrespeito à lei e que acabava estimulando ao pecado. Implicitamente acusaram Paulo de ser antinomiano. Já estava presente então no seio da igreja o antinomianismo. Os “antinomianos” eram totalmente contrários à lei moral e ensinavam que se a salvação é pela graça não havia necessidade de obediência a Cristo e a sua Palavra (Rm 6.1-2). Transformavam a graça de Deus em libertinagem. Judas fala a respeito de alguns deles em sua epístola, no versículo 4: “... homens ímpios, que transformam em libertinagem a graça de nosso Deus e negam o nosso único Soberano e Senhor”.


I EPÍSTOLA AOS CORÍNTIOS

          Em I Coríntios o apóstolo Paulo enfrenta uma heresia terrível proliferada pela seita dos saduceus, que acreditavam não haver ressurreição de mortos (I Co 15.12). Paulo mostra as implicações de crê em tal doutrina. Sistematicamente ele expõe que; se não há ressurreição de mortos então Cristo não ressuscitou, e portanto, tanto a nossa pregação quanto a nossa fé é vã, (v. 13, 14). Desse modo não haveria redenção e os mortos permaneceriam em seus pecados, v. 17. Mas passa a expor que Cristo de fato ressuscitou e como haverá de ser a ressurreição de todos os que partem em Cristo (vv. 20 ss).


 EPÍSTOLA AOS GÁLATAS

          Na Epístola aos Gálatas Paulo retoma a discussão contra os judeus que haviam vindo do judaísmo que super valorizavam a lei em detrimento da graça de Cristo. Os crentes judeus não estavam compreendendo que os ritos judaicos eram transitórios e queriam exigir a prática da circuncisão como cumprimento da Lei. A isto Paulo responde que estavam menosprezando a graça de Cristo e que estavam buscando se aperfeiçoar na carne, Gl 3.1-5. O apóstolo deixa claro que uma vez libertos não deveriam submeter-se novamente a jugo de escravidão, e que o mais importante é a fé que atua pelo amor. A justificação perante Deus não depende de obras da lei realizadas pelo homem, mas é um ato de Deus baseado nos méritos de Cristo. Devido à importância deste tema Paulo trata dele em várias epístolas, como em Romanos e Filipenses (Fp 3).


EPÍSTOLA AOS FILIPENSES

          Mais uma vez Paulo volta a tacar os antinomianos em Fp 3.17-21. A crença deles de que o corpo é mal (vemos aí já presente um germe da doutrina gnóstica) e que o espírito é tudo, e que, portanto não havia necessidade de obedecer à lei naquilo que diz respeito à carne (corpo). Tal doutrina levava-os ora ao ascetismo, ora à libertinagem. No caso em Filipos ocorreu a segunda opção. E Paulo exorta os crentes filipenses a seguirem o seu exemplo e evitarem aqueles que fazem deuses seus próprios apetites (Fp 3.17, 19).  O evangelho de Jesus Cristo, pregado pelo apóstolo aos filipenses põe ênfase no que é espiritual e não no que é carnal, sobre as coisas celestiais e não sobre as terrenas (Cl 3.1).


EPÍSTOLA AOS COLOSSENSES

          Na Epistola aos Colossenses o apóstolo Paulo combate uma heresia denunciada por ele no versículo 8: “Cuidado que ninguém, vos venha enredar com sua filosofia e vãs sutilezas, conforme a tradição dos homens, conforme os rudimentos do mundo”. Não se sabe ao certo de que se tratava. A advertência contra a filosofia com certeza não diz respeito a toda a filosofia, mas àquela específica contra a qual o apóstolo escreve. Era, como diz o texto, uma doutrina de homens. Não há muita informação sobre esta heresia, sabes-se aqui que se trata de culto aos anjos, conforme o versículo 18, mas pode ser que fosse apenas um aspecto de tal filosofia. A reação do apóstolo então não poderia ser outra, pois os próprios anjos recusam-se serem adorados (Ap 19.9,10).


 II EPÍSTOLA AOS TESSALONICENSES

          Em 2 Tessalonicenses cap. 2: v. 2 vemos o apóstolo preocupado que a idéia de que o Dia do Senhor havia já começado, tivesse sido incutida na mente dos tessalonicenses por alguma comunicação reclamando a sua autoridade, e da qual não tinha recebido ainda informações exatas. Tal heresia Paulo responde afirmando que antes desse evento escatológico ocorrerá uma grande apostasia e o anticristo se revelará.


I EPÍSTOLA À TIMÓTEO

          Nas epístolas à Timóteo, onde Paulo fala da importância de ele combater os falsos ensinos e preservar a sã doutrina, cita como exemplo dessas heresias em 1 Tm 4.1-3 a proibição do casamento e a abstinência de alimentos. Refere-se a elas como males a serem combatidos pela a igreja no futuro. Tais doutrinas contradirão diretamente o propósito do Criador, pois tudo o que Deus fez não é só bom em si mesmo como foi destinado ao uso do homem. A proibição do casamento (prática não encontrada na igreja evangélica, mas presente na igreja romana no que tange aos sacerdotes) é doutrina diabólica, pois vai contra a natureza humana e contra os propósitos divinos.



         

Nenhum comentário:

Postar um comentário