Gênesis 25.27-34 - Evite o caminho da insensatez


Introdução

           Para que estejamos nos situando no texto façamos um breve resumo do relato anterior.
           Depois da morte de sara, Abraão toma providências para que seu filho Isaque viesse a contrair matrimônio dentro da família da aliança, por isso envia seu servo para buscar uma esposa para ele entre seus parentes (cap. 24). Todo esse relato demonstra a soberania do Senhor sobre a vida e como devemos fazer nossas escolhas com relação ao matrimônio para que sejam de acordo com a vontade do Senhor. Não apenas tudo foi feito em plena harmonia com os propósitos de Deus como também havia verdadeiro amor entre Isaque e Rebeca.
           Os versículos que nos propomos a analisar neste momento nos mostra dentre tantas coisas que mesmo pessoas sensatas podem ter presentes em sua vida um pouco de insensatez. Queremos refletir neste texto sobe essa perspectiva.


I – a insensatez de Isaque e Rebeca, v.27-28.

           Isaque e Rebeca era um casal bastante abençoado pelo Senhor. Percebemos na história deles um afeto sempre presente. Foi um casal monogâmico, não há nenhuma indicação bíblica de Isaque tenha se relacionado se relacionado com outra mulher. Embora Rebeca fosse estéril Isaque orou ao Senhor como nos mostra o v. 21, para que viessem a ter filhos. Ele sabia da promessa divina, mas conhecer a promessa do Senhor não implica deixar de orar para que tais promessas se cumpram. A gestação de Rebeca não parece ter sido fácil, como fica indicado pelo v. 22, mas é dito a ela que duas nações lutavam em seu ventre, v. 23. Ela daria luz a dois homens que seriam patriarcas de dois povos. No entanto, o texto deixa claro que o mais velho servirá ao mais jovem. Aprouve ao Senhor em sua soberania escolher a Jacó e rejeitar Esaú.
           E aqueles meninos cresceram bem diferentes um do outro. Desse modo, parece algo natural que seus pais se afeiçoem particularmente por cada um deles. No entanto, essa predileção exclusiva revela também um certo grau de insensatez, pelo menos na forma como essa predileção se manifestou. O texto parece demonstrar que ambos por terem seus filhos prediletos estavam sendo negligentes em dar ao outro, ao não predileto, a devida medida de amor, cuidado e ensino.
           É até natural que os pais que tenham vários filhos um deles lhe seja predileto, no entanto, não justifica a ausência de atenção aos demais, caso isto ocorra poderá haver prejuízos familiares como estava havendo naquela família.


II – A insensatez de Jacó, 29-30.


           Sabemos que Jacó foi o escolhido pelo Senhor para ser o primogênito de fato e de direito. Com certeza sua mãe lembrava bem da promessa do Senhor nesse sentido, e é evidente que Jacó queria isso para sua vida, devido às vantagens que teria. Embora Jacó fosse o eleito de Deus para ser o herdeiro da promessa isso não valida a forma como ele agiu. Jacó agiu de uma forma moralmente errada. Ele aproveitou-se de um momento de fragilidade de seu irmão para om benefício próprio. Embora fosse ele o escolhido de Deus para de sua descendência vir o Messias, e também dele uma grande nação, não há justificativa moral para o seu ato. Ele foi não apenas insensato, mas maldoso em seu procedimento. Se Deus o abençoou posteriormente apesar de suas atitudes erradas é porque a promessa do Senhor com relação à aliança era unilateral, não dependia de Jacó.
           Para a cultura brasileira parece que ele foi ‘esperto’, haja vista que em nosso país enraizou-se a chamada “lei de Gérson”, ou seja, não importa o que aconteça aos outros, o importante é que eu esteja me dando bem. Infelizmente tantas pessoas agem dessa forma.
           Há crentes trapaceiros hoje á semelhança de Jacó? Como podemos medir a honestidade de nosso povo? Há um problema moral muito grande quando vemos pessoas usarem meios ilícitos para sua subsistência colocando uma roupagem gospel. Tudo isso não está longe de nós, é só observarmos a quantidade de pessoas que se dizem evangélicas e ao mesmo tempo está presente no comércio de cds e dvds piratas. Supostos cristãos que vendem produtos no metrô mesmo sendo proibido por lei. E você minha irmã, já trapaceou alguma vez? E você jovem? E você meu irmão?


III – A insensatez de Esaú, v.32-34. 


           O quadro que esses versículos mostram de Esaú é de um homem leviano. Segundo o dicionário Aurélio “leviano” significa quem julga de leve, pouco refletido, precipitado, imprudente, namoradeiro e inconstante. Hebreus 12.16 ainda acrescenta que ele era uma pessoa profana e impura. Isto significa que ele não valorizava devidamente as dádivas divinas.
           O texto nos mostra que Esaú voltava de uma cassada, devido sua momentânea condição física, devido à fome que estava sentindo; mas, devido também ao seu caráter impuro desprezou o seu direito de primogenitura. Ora, o primogênito era o herdeiro principal da família, herdava duas vezes mais do que outros filhos. Se o casal tivesse apenas dois filhos, o primogênito herdaria tudo. Mas também herdava a responsabilidade de ser o protetor da família. Na família da aliança essa herança incluía a promessa de Deus a Abraão de uma descendência na terra que abençoaria todas as nações. Era considerada, portanto, como uma bênção que não poderia ser desprezada. Poderia até ser vendida, mas Esaú trocou por um preço desprezível, um prato de lentilhas.
           Muitas pessoas atualmente poderão estar agindo como Esaú, pensam no benefício presente, no prazer momentâneo, e esquecem do dia de amanhã e da vontade divina para sua vida. Trocam então em termos existenciais “a primogenitura pelo prato lentilha”, isto é, desprezam a Deus, à Sua vontade, aos seus padrões para as nossas vidas. A insensatez está na estupidez de comparar algo tão excelente com a mediocridade que este mundo pode oferecer.
           Sempre que alguém se afasta dos caminhos do Senhor para priorizar uma vida nos prazeres mundanos está trocando a primogenitura por um prato de lentilha. Cuidado jovens! Vocês são especialmente tentados a isso. Não cedam, não vale a pena!


Conclusão

           Você consegue enxergar alguma insensatez na sua vida? Talvez não seja fácil, como certamente Isaque e Rebeca não percebiam que acabavam excluindo um dos filhos ao dar atenção excessiva ao seu preferido. 

           Nunca tome decisões importantes quando estiver de alguma forma debilitado física e ou emocionalmente, seja sensato!

Nenhum comentário:

Postar um comentário