Salmo 8 - A glória divina e a dignidade de Cristo

1 Ó SENHOR, Senhor nosso, quão magnífico em toda a terra é o teu nome! Pois expuseste nos céus a tua majestade.
2 Da boca de pequeninos e crianças de peito suscitaste força, por causa dos teus adversários, para fazeres emudecer o inimigo e o vingador.
3 Quando contemplo os teus céus, obra dos teus dedos, e a lua e as estrelas que estabeleceste,
4 que é o homem, que dele te lembres E o filho do homem, que o visites?
5 Fizeste-o, no entanto, por um pouco, menor do que Deus e de glória e de honra o coroaste.
6 Deste-lhe domínio sobre as obras da tua mão e sob seus pés tudo lhe puseste:
7 ovelhas e bois, todos, e também os animais do campo;
8 as aves do céu, e os peixes do mar, e tudo o que percorre as sendas dos mares.
9 Ó SENHOR, Senhor nosso, quão magnífico em toda a terra é o teu nome!


Introdução

           O refletirmos neste salmo imaginemos Davi saindo para um ambiente ao lar livre e contemplando as estrelas. Este salmo foi chamado por Spurgeon de a canção do astrônomo justamente por este aspecto contemplativo.  O salmo fala do homem, mas também fala de Deus, Deus enquanto criador deste homem e também é ao mesmo tempo uma revelação da pessoa do Senhor Jesus. Ele é citado por Jesus em Mt 21.16, pelo apóstolo Paulo em 1 Coríntios 15.27 e pelo escritor aos Hebreus em Hb 2.6, 7. Com base nisso podemos afirmar que Cristo é o tema central desse salmo. Ele nos revela a glória divina e a dignidade de Cristo. Aproximemo-nos dele contextualizando esta maravilhosa revelação com a reflexão feita por Davi sobre a realidade humana. O que é o ser humano? Para respondermos a essa pergunta de forma bíblica precisamos iniciar com Deus, pois o salmo responde, mas ele inicia com Deus e conclui com Deus.



           Que ato de adoração maravilhosa da parte de Davi. Contemplando os céus ele exalta o Senhor declarando que ele é magnifico em toda a terra. Tanto a Terra quanto o vasto universo são obras de suas mãos. Quão exaltado é o Senhor criador e providente de sua criação. Pense na vastidão de nossa galáxia, a Via Látea, ela contém entre 100 e 400 bilhões de estrelas, e é apenas uma entre incontáveis galáxias existentes. O que somos nós comparados a essa imensidão? Como nos sentimos pequenos diante do grandioso universo criado por Deus. E o salmista declara em outro lugar: "Exaltado está o Senhor, acima de todas as nações, e a sua glória, acima dos céus. Quem é semelhante ao Senhor nosso Deus, que habita nas alturas. Que se curva para ver o que está nos céus e na terra." (Salmo 113:7-9).
           Este Deus exaltado, criador deste universo infinito contempla sua criaturas feitas à sua imagem e semelhança. E para ilustrar isso de uma forma tão bela no v. 2 é dito que é dos pequeninos, das crianças, que ele recebe o mais perfeito louvor. Em toda sua exaltação Deus usa os mais pequeninos para silenciar seus inimigos. Jesus faz referência a esse texto quando os fariseus estavam indignados com o louvor das crianças a ele quando de sua entrada em Jerusalém (Mt 21.16).
           Que nos sintamos sempre pequenos diante do Senhor e das obras de suas mãos! Que pensemos da realidade que a força do evangelho não é o resultado da eloquência ou da sabedoria de quem o proclama!
           As forças do mal são silenciadas pelo testemunho dos crentes fracos, que não se consideram fortes, que são dependentes do Senhor como uma criança é de seus pais!
           Se você se considera incapaz, pequeno, saiba que você é o candidato certo para Deus usar, conforme 1 Coríntios. 1:26-29.

v.3           A olho nu Davi podia contemplar pelo menos 4 mil estrelas, e sentir-se pequeno diante dessa maravilha. Jó também teve essa sensação em uma experiência bem diferente, Jó 7:17-21: “Que é o homem, para que tanto o estimes, e ponhas sobre ele o teu coração, e cada manhã o visites, e cada momento o proves? Até quando me não deixarás, nem me largarás, até que engula a minha saliva? Se pequei, que te farei? Ó Guarda dos homens? Porque fizeste de mim um alvo para ti, para que a mim mesmo me seja pesado? E porque me não perdoas a minha iniquidade? Pois agora me deitarei no pó, e de madrugada me buscarás, e não estarei lá”. Jó estava a dizer, na essência, “estás sempre a me vigiar, mas porquê isso? Se és tão exaltado, para quê tanto barulho? Que é o homem para você?”
           O texto revela a pequenez humana, mas revela também sua dignidade. Nossa dignidade está em o Senhor nos escolher apara si mesmo, em querer ser glorificado em nós. Por isso dentre esses seres pequenos escolheu alguns para viver em plena comunhão com ele (Ef 1.3-4).
           O texto nos diz que Ele nos fez um pouco menor do que os anjos, mas nos fez acima dos animais, somos coroa de sua criação. O homem é espirito/corpo, os anjos são espíritos incorpóreos, embora possam assumir forma humana como ocorreu na revelação bíblica; os animais são apenas corpo, não tem espírito. Nós não somos um pouco mais que animais, Davi não era um evolucionista ateu, ele diz que somos um pouco menor que os anjos.
           Somos coroa de sua criação porque fomos criados à sua imagem e semelhança, isto é, temos capacidade cognitiva, somos racionais, temos capacidades sentimentais, temos vontade.
           Mas este homem criado para manifestar a glória divina, falhou em Adão, sendo necessário vir o segundo Adão, Cristo, para que nele houvesse  a maior revelação da glória divina. O apóstolo Paulo faz uma aplicação totalmente cristocêntrica desse texto. Aplica o texto a Jesus utilizando a versão da Septuaginta que traduz “anjos” não “Deus” no v. 5.  Heb 2:7: “Fizeste-o, por um pouco, menor que os anjos, de glória e de honra o coroaste”. Neste sentido, por conta de seu sofrimento ele é tido como menor que os anjos, mas por pouco tempo, seu sofrimento, sua humilhação foi caminho para sua exaltação.
           Ele demonstrou seu domínio sobre as obras da criação, o que declara os versículos 6 a 8 vemos se cumprir quando ele interferiu milagrosamente na pesca de seus discípulos (Jo. 21.6) e em todos os textos de seus milagres sobre a natureza.
           E foi na cruz, que ele Jesus foi "coroado de glória” (Hebreus 2:9). É na cruz que foi revelada a excelência da glória de Deus. Na Cruz, podemos ver Deus Se revelando em assombroso amor pelo pecador e em justiça ao punir o pecado em Seu próprio Filho!


Conclusão

           O Salmo 8 começa como termina, exaltando ao Senhor. O homem só pode se conhecer verdadeiramente quanto ao propósito eterno de sua criação aproximando-se de seu criador e assim como Davi abrir sua alma em adoração à Ele.


Nenhum comentário:

Postar um comentário