CALVINO E A PREGAÇÃO









          João Calvino era um pregador fabuloso, pregava intensivamente. Todos os dias praticamente suas ovelhas tinham a oportunidade de lhe ouvir pregar o evangelho. Não escolhia um texto a esmo como muitos pregadores de nossos dias que basicamente só pregam mensagens temáticas. Seu método de pregação era expositivo contínuo, ou seja, expunha o texto bíblico e pregava de forma seqüencial livro por livro, versículo por versículo.
          Em suas mensagens utilizava uma linguagem simples, compreensível ao povo. Expunha e explicava o texto em seu contexto histórico-gramatical, porém pelo menos 40% de sua mensagem era dedicada á aplicação. Fazia aplicações gerais e específicas para determinadas classes de pessoas. Fazia aplicações polêmicas contra os erros do catolicismo predominante em sua época, levava o povo de fato a pensar acerca de suas atitudes e de suas vidas.
          Utilizava-se de uma metodologia extemporânea de pregação, ou seja, embora estudasse minuciosamente o texto, não levava um sermão escrito para o púlpito. Acreditava ele que dessa forma estaria mais à disposição do Espírito. Evidentemente que essa sua atitude deve ser entendida corretamente, para que algumas pessoas que não estudam suas mensagens não pensem ter ele como exemplo. Lembremos que Calvino estudava com afinco tudo quanto iria transmitir do púlpito.
          Paralelo à pregação havia em seu ministério a atividade intensa da visitação pastoral, que em certo sentido acaba sendo um complemento da mensagem de púlpito. Desse modo ele não visitava apenas aqueles que se encontravam doentes, mas todos de sua igreja. Era um trabalho preventivo.
          Os pregadores de nossos dias deveriam olhar para o passado, para homens como Spurgeon, John Owen, Loyd Jones e sem dúvida também Calvino e tomá-los como exemplo a serem imitados. Sei que pregar expositivamente eleva o grau de dificuldade para o pregador, porém, estou convencido que é o tipo de mensagem mais fiel ao texto bíblico e mais proveitosa espiritualmente para a igreja.




Nenhum comentário:

Postar um comentário